quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

BARBOSA FERRAZ - Infestação do caramujo africano preocupam moradores



Moradores de Barbosa Ferraz, na região da Vila Mineira, estão muito preocupados com o aumento dos caramujos africanos. A espécie aumenta a cada dia e pode causar doenças como a angiostrongilíase, que manifesta-se no abdômen e na meninge e nos casos mais graves pode levar à morte.

A justificativa para o aumento está no tempo úmido e quente que faz a população de caramujos africanos — que não é nativa da região e não possui predador — aumentar significativamente.

Mas o que fazer para evitar a contaminação? A limpeza é obrigatória para manter os caramujos longe. Além do clima favorável, alguns locais, como terrenos baldios com acúmulo de lixo, auxiliam na proliferação dos moluscos.

O caramujo sobrevive mesmo submetido a condições adversas. Costuma hibernar no inverno. A espécie está entre as cem piores invasoras de ocorrência mundial. Como não é natural do Brasil, não tem predador. A orientação da Secretaria Municipal de Saúde – vigilância sanitária – é que o combate seja feito com alguns cuidados, como recolher os caramujos usando luvas e colocando em sacolas plásticas que devem ser amarradas e depositadas nos tambores que a prefeitura disponibilizou em vários pontos da região com infestação.

Uma outra medida que pode ser adotada também é após recolher os caramujos e ovos queimá-los em fogo persistente e assim que apagar o fogo quebrar a concha e enterrar, já que o calcário da concha é saudável para o solo. Essa afirmação é da bióloga Cíntia Petroscky.

Outro cuidado que se deve ter também é com os alimentos produzidos em terrenos infectados pelos caramujos. Deve-se lavar e deixar de molho numa solução de um litro de água para uma colher de água sanitária. Deixar de molho por 30 minutos, após isso lavar em água corrente para retirar o excesso da água sanitária e aí está pronto para o consumo.