quinta-feira, 13 de abril de 2017

Zeca Dirceu, em Nota, rebate rebate acusações sobre seu nome em lista da delação premiada

Foto: Laycer Tomaz/Câmara dos Deputados


Na última terça-feira (11) o nome do deputado federal Zeca Dirceu apareceu na segunda lista da delação premiada apresentada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. 104 nomes, incluindo oito ministros, 24 senadores, 40 deputados e governadores, foram citados.

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), Zeca e o ex-ministro José Dirceu, seu pai, foram citados em depoimentos prestados pelo executivo da Odebrecht, Fernando Luiz Ayres da Cunha Santos Reis. O valor recebido, juntos, por eles seria de R$ 850 mil.

Em nota enviada por sua Assessoria de Imprensa, o deputado Zeca Dirceu rebate as acusações. Confira a nota na íntegra:

Nota à imprensa

O deputado federal Zeca Dirceu reitera que não há e nunca houve qualquer tipo de tratativa do parlamentar junto às diretorias da Petrobras e/ou às empresas investigadas na Lava Jato.

Apesar das inúmeras investigações em andamento há vários anos, não existe sequer uma única ligação, e-mail, contato, agenda de reunião, testemunho, delação ou coisa parecida em relação a qualquer atitude do parlamentar que o ligue ao assunto Petrobras / Lava Jato ou a qualquer tipo de ilegalidade.

É importante destacar, que nunca houve qualquer pedido do parlamentar a envolvidos na Lava Jato, fato já testemunhado por vários outros delatores e agora comprovado pelo próprio delator Fernando Luiz Ayres da Cunha Santos Reis.

Todas as doações recebidas nas campanhas de 2010 e de 2014 foram legais, declaradas e aprovadas pela Justiça Eleitoral sem ressalvas.

Os nomes dos doadores são de conhecimento público desde 2010, divulgados constantemente pelos órgãos de imprensa.

O deputado reforça sua confiança no Supremo Tribunal Federal e no trabalho de investigação da Polícia Federal.