quarta-feira, 12 de abril de 2017

Lava Jato - Zeca Dirceu e o pai serão investigados pelo recebimento de R$ 850 mil



O ex-ministro José Dirceu e o filho dele, o deputado federal Zeca Dirceu (PT-PR), serão alvos de inquéritos autorizados pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF). Os dois aparecem na segunda lista do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Segundo o inquérito, informações apresentadas em delação premiada apontam que pai e filho teriam recebido, juntos, R$ 850 mil.

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), José Dirceu e Zeca Dirceu foram mencionados em depoimentos prestados pelo executivo da Odebrecht, Fernando Luiz Ayres da Cunha Santos Reis. Nas delações, ele confirmou que Dirceu era identificado pelo codinome “Guerrilheiro”, que aparece nas planilhas da empresa. O executivo, de acordo com a denúncia, teria se reunido com o ex-ministro por diversas vezes, para tratar, entre outros assuntos, de contribuições para campanhas de Dirceu e de Zeca Dirceu, por meio de “caixa 2”.

O delator apontou o pagamento de R$ 350 mil a campanhas de Dirceu, “esclarecendo que os repasses eram feitos diretamente aos beneficiários, e não a Dirceu”. Além disso, o executivo declarou que, a pedido do ex-ministro, a Odebrecht repassou R$ 250 mil a campanhas de Zeca Dirceu, nos anos de 2010 e 2014, totalizando R$ 500 mil.

A assessoria de imprensa do deputado Zeca Dirceu disse que prepara uma nota, por meio da qual o parlamentar deve se manifestar acerca das denúncias.

(As informações são da Gazeta do Povo).